FANDOM


2001: A Space Odyssey (2001 - Uma Odisseia no Espaço no Brasil e 2001: Odisseia no Espaço em Portugal) é um filme anglo-americano de 1968 dirigido e produzido por Stanley Kubrick, co-escrito por Kubrick e Arthur C. Clarke e baseado no livro homônimo do próprio Arthur. O filme lida com os elementos temáticos da evolução humana, existencialismo, tecnologia, inteligência artificial e vida extraterrestre. É notável por seu realismo científico, efeitos especiais pioneiros, imagens ambíguas que são abertas a ponto de se aproximarem do surrealismo, som no lugar de técnicas narrativas tradicionais e o uso mínimo de diálogo.

Sinopse Editar

AVISO: Esta sinopse contém revelações sobre o enredo do filme (spoilers).
O filme consiste de quatro grandes seções, todas, com a exceção da segunda, introduzidas por letreiros.

A Aurora do Homem Editar

Uma tribo de humanos primitivos semelhantes a macacos está procurando por comida no deserto africano. Um leopardo mata um dos membros, e uma outra tribo de homens-macacos os afugenta de um poço de água. Derrotados, eles dormem em uma pequena cratera de pedra exposta, acordando para encontrar um monólito preto que apareceu na frente deles. Eles se aproximam grunhindo e pulando, eventualmente o tocando com cuidado. Pouco tempo depois, um dos macacos percebe que ele pode usar um osso tanto como uma ferramenta quanto como uma arma, que o macaco usa para matar uma presa para come-la. Mais tarde eles conseguem o controle do poço de água ao matarem o líder da outra tribo utilizando-se para tal feito do osso-arma.

AMT-1 Editar

Um avião espacial da Pan Am leva o Dr. Heywood R. Floyd para uma estação espacial na órbita da Terra para um descanso de sua viagem a Base Clavius na Lua. Depois de videotelefonar para sua filha, ele encontra sua amiga Elena, uma cientista russa, e seu colega Dr. Smyslov, que pergunta à Floyd sobre "coisas estranhas" ocorrendo em Clavius e de um rumor sobre uma misteriosa epidemia se espalhando pela base. O americano se recusa a responder qualquer pergunta sobre a epidemia.

Em Clavius, Floyd tem uma reunião com o pessoal da base, se desculpando pelo encobrimento da história da epidemia, mas salientando sigilo. Sua missão é investigar um artefato recém encontrado—Anomalia Magnética Tycho Um (AMT-1)—"deliberadamente enterrada" quatro milhões de anos atrás. Floyd e outros vão de ônibus lunar até o artefato, um monólito preto idêntico àquele encontrado pelos macacos. Os visitantes examinam o monólito, e posam para uma fotografia na frente dele. Enquanto fazem isso, eles ouvem um sinal de rádio muito alto vindo do monólito.

Missão Júpiter Editar

Dezoito meses depois, a nave espacial Discovery One está a caminho de Júpiter. A bordo estão o Dr. David Bowman e o Dr. Frank Poole, e outros três cientistas em hibernação criogênica.. "Hal" é o computador HAL 9000 da nave, que comanda a maioria das operações da Discovery. Enquanto Bowman e Poole assistem a Hal e eles mesmos serem entrevistados pela BBC, o computador afirma que ele é "infalível e incapaz de erro". Ele também fala de seu entusiasmo para a missão, e como ele gosta de trabalhar com humanos. Quando perguntado pelo entrevistador se Hal possui emoções genuínas, Bowman fala que ele parece ter, porém a verdade é desconhecida.

Hal pergunta à Bowman sobre o mistério e segredo não usuais em volta da missão, porém ele se auto interrompe para reportar uma falha no dispositivo que controla a antena principal da nave. Depois de recolher o componente por um casulo de atividade extraveicular, os astronautas não conseguem encontrar nenhum problema. HAL sugere reinstalar o componente e deixá-lo falhar para que o problema possa ser encontrado. O controle da missão concorda, porém eles avisam os astronautas que os resultados vindos do computador gêmeo HAL deles indica que o HAL da nave está em erro prevendo a falha. Quando consultado, Hal insiste que o problema, como todos os problemas com a série HAL, são devidos a "erro humano". Preocupados com o comportamento de Hal, Bowman e Poole entram em um dos casulos extra veiculares para conversarem sem o computador poder ouvi-los. Ambos têm um "mau pressentimento" sobre Hal, apesar da série HAL ter confiabilidade perfeita, porém decidem seguir as instruções do computador e substituir o equipamento. Enquanto os astronautas concordam em desativar o computador se ele estiver errado, ambos não sabem que Hal está lendo seus lábios através da janela.

Enquanto tentava substituir a unidade durante uma caminhada espacial, o casulo extra veicular de Poole, controlado por Hal, corta seu cabo de oxigênio e o deixa a deriva. Bowman, não percebendo que o responsável foi o computador, pega outro casulo e tenta resgatar Poole, deixando seu capacete para trás. Enquanto ele está fora, Hal termina as funções vitais dos tripulantes em animação suspensa. Quando Bowman retorna a nave com o corpo de Poole, Hal se recusa a deixá-lo entrar, afirmando que o plano do astronauta para desativá-lo põe em perigo toda a missão. Bowman abre manualmente a trava espacial de emergência e, arriscando sua vida, consegue entrar na nave. Depois de vestir seu capacete, Bowman vai até o núcleo de memória de HAL 9000 com a intenção de desconectar o computador. Primeiramente Hal tenta tranquilizar Bowman, depois pede para que ele pare, e depois começa a demonstrar medo—tudo com uma voz monótona e constante. O astronauta o ignora e desconecta cada um dos módulos do computador. Hal eventualmente regride a sua programação mais antiga na memória, a canção "Daisy Bell", que ele canta para Bowman.

Quando o computador é finalmente desconectado, um vídeo pré-gravado por Floyd se inicia. Nele, ele revela a existência de dois monólitos, um na lua e um em Júpiter, "sua origem e propósito, ainda um mistério total". Floyd adiciona que o monólito permaneceu completamente inerte, exceto por uma única, muito poderosa, emissão de rádio direcionada a Júpiter.

Júpiter e Além do Infinito Editar

Em Júpiter, Bowman deixa a Discovery One em um casulo extraveicular e encontra um outro monólito em órbita do planeta. Ao se aproximar dele, o casulo é puxado para dentro de um túnel de luzes coloridas,[11] e um desorientado e aterrorizado Bowman se vê viajando em alta velocidade através de vastas distâncias do espaço, vendo imagens de bizarros efeitos cosmológicos e estranhas paisagens alienígenas de cores incomuns. Ele se vê, com meia idade e ainda em sua roupa espacial, em um quarto contendo uma decoração no estilo Luís XVI. Bowman vê progressivamente versões mais velhas dele próprio, seu ponto de vista muda em cada tempo, alternadamente aparecendo vestido a rigor e jantando, e finalmente como um homem muito velho deitado em uma cama. Um monólito preto aparece ao lado da cama, e enquanto Bowman se aproxima, ele é transformado em um ser parecido com um feto humano, cercado por uma orbe transparente de luz. O novo ser flutua no espaço ao lado da Terra, contemplando-a.
AVISO: Termina aqui as revelações sobre o enredo do filme (spoilers).

Elenco Editar

  • Keir Dullea como Dr. David Bowman
  • Gary Lockwood como Dr. Frank Poole
  • William Sylvester como Dr. Heywood R. Floyd
  • Douglas Rain como a voz de HAL 9000
  • Donald Richter como chefe macaco
  • Leonard Rossiter como Dr. Andrei Smyslov
  • Margaret Tyzack como Elena
  • Robert Beatty como Dr. Ralph Halvorsen
  • Frank Miller como controlador da missão
  • Edward Bishop como capitão da nave Lunar
  • Edwina Carroll como comissária de bordo da Aries
  • Penny Brahms como comissária de bordo
  • Heather Downham como comissária de bordo
  • Alan Gifford como pai de Poole
  • Ann Gillis como mãe de Poole
  • Vivian Kubrick como filha de Floyd
  • Kenneth Kendall como anunciante da BBC

Influência Editar

Influência no filme Editar

A influência de 2001 em cineastas posteriores é considerável. Steven Spielberg , George Lucas e outros, incluindo muitos técnicos de efeitos especiais, discutir o impacto que o filme teve sobre eles em um featurette intitulado pé sobre os ombros de Kubrick: O legado de 2001 , incluiu na versão 2007 DVD do filme. Spielberg chama de "big bang" de sua geração filme, enquanto Lucas diz que foi "extremamente inspiradora", rotulando Kubrick como "cineasta do cineasta." Sydney Pollackrefere como "inovador", e William Friedkin afirma 2001 é "o avô de todos esses filmes ". No festival filme de 2007 de Veneza, o diretor Ridley Scott afirmou que ele acreditava que 2001 foi o filme imbatível que em um sentido matou o gênero da ficção científica.  Da mesma forma, o crítico de cinema Michel Ciment em seu ensaio "Odyssey de Stanley Kubrick", afirmou, "Kubrick concebeu um filme que em um curso fez toda a ciência cinema de ficção obsoleto ".  no entanto, outros de crédito 2001 com a abertura de um mercado de filmes como Encontros Imediatos do Terceiro Grau , estrangeiro , Blade Runner e contato ; provando que grande orçamento "graves" filmes de ficção científica pode ser comercialmente bem sucedido, e que estabelece o "sci-fi de grande sucesso" como um grampo Hollywood. A  Revista Science Discover ' s blogger Stephen Cass, discutindo o impacto considerável do filme na subsequente de ficção científica, escreve que "as cenas de naves espaciais de balé com música clássica de varredura, os tons tarântula-soft de HAL 9000 , eo artefato alienígena final, a Monolith, todos tornaram duradouros ícones culturais em seu próprio direito."

Influência na mídia Editar

Um comentador sugeriu que a imagem da criança da estrela ea Terra tem contribuído para o aumento do ícone "toda a terra" como um símbolo da unidade da humanidade.Escrevendo em The Asia Pacific Journal Robert Jacobs traça a história deste ícone de desenhos animados primeiros e desenhos de Terra para fotografias de Terra de missões espaciais início, à sua aparência histórica na capa de The Whole Earth Catalog . Notando que as imagens de todo o planeta se repetir várias vezes em Uma Odisséia no Espaço, Jacobs escreve.

Influência na tecnologia  Editar

Em agosto de 2011, em resposta a Apple Inc. processo por violação de patente de encontro a Samsung , este último argumentou que da Apple iPad foi efetivamente modelado sobre os comprimidos visuais que aparecem a bordo de nave espacial Descoberta na Odisséia no Espaço filme, que constitui arte anterior . 

" Siri ", sistema de controle de voz no idioma natural da Apple para o iPhone 4S , apresenta uma referência ao filme:. Ele responde "Me desculpe, eu não posso fazer isso" quando lhe pediram para "abrir as portas da baía do vagem"  quando perguntado repetidamente, pode dizer: "Sem o seu capacete espacial, você vai encontrar este sim ... de tirar o fôlego."

Inspirado pelo tablet visuais de Clarke, em 1994, um código de projecto de I & D financiado pela Comissão Europeia com o nome "NewsPAD" desenvolvido e piloto testou um "visualizador de multimédia" portátil que aponta para a realização do 'jornal' an multimédia electrónicos apontando o caminho para um futuro totalmente interativo e fonte de informação altamente personalizada. Parceiros envolvidos foram Acorn RISC Technologies UK , Archimedes GR, Carat FR, Ediciones Primera Plana ES, Institut Català de Tecnologia ES, e TechMAPP Reino Unido. 

Fonte: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Trailer Editar

1968 Editar

2001- Odisseia no Espaço - Trailer Oficial Legendado Português01:55

2001- Odisseia no Espaço - Trailer Oficial Legendado Português

Re-lançamento (2014) Editar

2001- A Space Odyssey Official Re-Release Trailer (2014) - Stanley Kubrick Movie HD02:01

2001- A Space Odyssey Official Re-Release Trailer (2014) - Stanley Kubrick Movie HD

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória